Menu
21ª Conferência Bahia e Sergipe

Ataque do governo ao salário mínimo prejudica o país

A decisão do governo Bolsonaro de que o reajuste do salário mínimo será feito apenas pela inflação foi duramente criticada por Augusto Vasconcelos, Presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia.

augusto vasconcelos108257 39128

“O salário mínimo, ao longo do tempo, perdeu seu poder de compra e ficou defasado. Em 2004 construímos uma negociação com o governo que assegurou elevações do salário mínimo acima da inflação. A partir de 2007 ficou estabelecido que os ganhos obtidos com o crescimento da economia seriam repassados aos trabalhadores, a partir da elevação do salário mínimo pela inflação mais metade do crescimento do PIB dos últimos 2 anos, o que promoveu um dos maiores ciclos de crescimento salariais das últimas décadas, ajudando a impulsionar o desenvolvimento do país”, afirmou.

Vasconcelos rebate os argumentos de que o aumento do salário mínimo prejudica as contas da Previdência. “O trabalhador que ganha salário mínimo não guarda o dinheiro para especular no mercado financeiro. Ele utiliza para a sobrevivência. Essa posição do governo atual é um retrocesso, penaliza os mais pobres e dificulta a saída da crise, pois com menos dinheiro circulando, as famílias terão seu poder de consumo reduzido, criando um ciclo vicioso de mais desemprego e aprofundamento da recessão, dificultando a própria capacidade de arrecadação tributária e deteriorando as contas públicas.”

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar