Menu
Campanha whatsapp

Começa a mobilização para etapa Baiana da Confecom

Representantes da sociedade civil, do poder público e do segmento empresarial se reuniram na manhã desta quinta-feira (8/10), no Hotel Fiesta, para lançar a etapa baiana da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). O evento acontece nos dias 24 e 25 de outubro, na Fundação Luís Eduardo Magalhães, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, e pretende mobilizar toda a sociedade em torno da discussão da comunicação como um direito social.

A Bahia foi o primeiro é único estado a realizar uma conferência para discutir a comunicação ainda em 2008.

Hoje também foram abertas as inscrições para o encontro estadual. A ficha pode acessada no site da Agencia Estadual de Comunicação (Agecom), www.agecom.ba.gov.br, ou diretamente no endereço da Conferência, http://conferencia.comunicacao.ba.gov.br. Podem se inscrever para o evento todas as pessoas interessadas em discutir a comunicação no país sob os aspectos de democratização da produção da informação e do acesso aos meios.

Na etapa baiana, serão eleitos os 100 delegados - 20 do Poder Público, 40 da sociedade civil e 40 do empresariado - que representarão o estado em Brasília, entre os dias 1º e 3 de dezembro, na 1ª Conferência Nacional sobre o assunto. Os delegados participarão de uma série de discussões a partir do tema “Comunicação: Meios para Construção de Direitos e Cidadania na Era Digital”. Os debates serão divididos em três eixos temáticos: produção de conteúdo, meios de distribuição e cidadania: direitos e deveres.

O evento, que reuniu mais de 2 mil pessoas de diversos segmentos da sociedade, impulsionou e ampliou o debate sobre a democratização da comunicação em todo o Brasil, uma vez que provou ser possível discutir aberta e democraticamente com toda a sociedade a comunicação enquanto direito social e humano. “A Bahia segue dando exemplo de que o direito a uma comunicação democrática e eficiente deve ser tratado como política pública, assim como o direito à saúde, à educação, à habitação”, afirmou o assessor-geral de Comunicação do Estado, Robinson Almeida.

Para o comunicador Nilton Lopes, da ONG Cipó – Comunicação Interativa, para a sociedade civil, o ponto central do evento é a discussão da democratização da comunicação. “Nossa proposta é que a comunicação seja cada vez mais um espaço de liberdade, onde todos possam opinar, produzir e receber informações de qualidade”, observou.

Esta também é expectativa em relação à Conferência Nacional. Entre os resultados esperados está a mudança na legislação brasileira que versa sobre a comunicação no país, que remonta ainda à década de 60. “Ocorreu uma revolução tecnológica no mundo, onde novas técnicas e linguagens da comunicação foram desenvolvidas. Tudo isso precisa de uma atualização para que esses novos meios sejam utilizados de forma plena e democrática pela população”, completou Almeida.

De Salvador,
Eliane Costa

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar