Menu
Campanha nacional 2022
-->

Comando e Fenaban definem ordem e temas das negociações

22.6.22 negociacao fenaban 51e66

O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com os representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na tarde desta quarta-feira (22/6), para a primeira rodada de negociação da campanha nacional 2022.

No encontro, realizado por videoconferência, foram definidos a ordem e os temas a serem debatidos nas 7 (sete) primeiras rodadas de negociação. Emprego será o primeiro assunto em discussão na reunião da próxima segunda-feira (27/6). Depois serão debatidas as cláusulas sociais e segurança bancária (6/7) e teletrabalho (22/7). Igualdade de oportunidades (28/7) e saúde e condições de trabalho (1º/8) darão seguimento aos debates.

As negociações das cláusulas econômicas começam no dia 3 de agosto e continuam no dia 8. O calendário da campanha prevê ainda reuniões entre o Comando e a Fenaban nos dias 11,15,18,19,20, 22,23 e 24 de agosto para os debates sobre o acordo.

Outros assuntos

Na reunião, o Comando Nacional reforçou a necessidade de negociação com os sindicatos em caso de demissões coletivas. O exemplo citado foi do Banco Mercantil do Brasil, que fechou as agências no Rio de Janeiro e demitiu todos os funcionários sem negociação com os sindicatos.

O Comando reivindicou ainda a manutenção dos protocolos sanitários, diante do recrudescimento dos casos de Covid e a Fenaban ficou de levar a recomendação para a reunião dos bancos, em 30 de junho. Outra solicitação dos trabalhadores foi o abono total de todo o Banco de horas negativas gerado pela Covid. A Fenaban disse que isso teria de ser tratado banco a banco.

A Fenaban alertou sobre a Medida Provisória 116, que cria uma série de limitações para os benefícios do auxílio creche, auxílio babá e auxílio para filhos PCDs. Após apelo do Comando, os bancos concordaram em atuar em conjunto com os bancários no Congresso Nacional para evitar essas limitações.

Sobre o Projeto de Lei 1043/19, que autoriza o funcionamento dos bancos nos sábados e domingos, a Fenaban alegou que a motivação do PL é o fato das cooperativas de crédito e os bancos digitais poderem funcionar e os bancos não. Os representantes dos bancários argumentaram que, em caso excepcionais de feirões, já havia negociações com os sindicatos, que estão dispostos a fazer isso.

Diante da resposta, a Fenaban afirmou que iria discutir com a área de negócios dos bancos sobre a possibilidade de apresentar uma posição comum com os representantes dos bancários, na audiência pública da Comissão de Defesa do Consumidor, prevista para a próxima terça-feira, 28 de junho, às 10 horas, na Câmara dos Deputados.

Para o secretário Geral da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza, “a reunião de hoje foi positiva, no sentido de definir um calendário abrangente, mas que vai permitir chegarmos à conclusão de um processo negocial na primeira quinzena de agosto”.

O Comando orientou a participação dos bancários nas atividades contra a Carestia, que ocorrem em todo o país neste fim de semana e a mobilização junto ao Congresso Nacional contra o PL 1043/19 (trabalho aos sábados e domingos) e a MP 116 de Bolsonaro que limita os auxílios creche e babá.

O Comando volta a se reunir na próxima sexta-feira, 24 de junho, para preparar a negociação de segunda-feira (27).

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar