Menu
Campanha whatsapp

Retorno ao trabalho presencial preocupa funcionários do BNB

2020 bnb ba0d4

O dia 21 de setembro se aproxima e as entidades sindicais estão preocupadas com o silêncio do Banco do Nordeste (BNB) sobre a volta dos funcionários do grupos de risco ou que reside com alguém nessa condição ao trabalho presencial.

O retorno agora colocaria a vida destas pessoas em risco, uma vez que a contaminação por covid-19 está crescendo e não há vacina contra a doença, que já matou mais de 130 mil pessoas no país. O pedido é para que o banco prorrogue o home office para estes trabalhadores até que a situação melhore.

O próprio banco afirmou que discutiria esse prazo com as entidades, em reunião realizada no mês passado, mas até o momento nada. “Desde o início do mês, estamos buscando agendar uma reunião com direção do BNB, para tratar desse assunto. Infelizmente ainda não foi agendada e estamos apenas com o indicativo de que deve acontecer até sexta feira, dia 18”, relatou o diretor da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe e funcionário do BNB, Waldenir Britto.

O BNB instalou nesta segunda-feira (14) o GT sobre teletrabalho, com a participação de um representante das entidades sindicais - sendo indicados um titular e um suplente. A expectativa é que o GT possa dá resposta imediata a essa justa demanda dos trabalhadores.

Diretrizes

A Feebbase tem buscado dialogar com o BNB sobre os casos mais graves que chegam ao conhecimento da entidade. Mas entende que não é possível tratar um assunto tão importante, caso a caso. A Feebbase defende a adoção de regras claras e objetivas que sejam aplicadas em todo o BNB e que não deem margens de interpretações diferentes aos gestores nas unidades.

“Temos sido contactados por colegas em verdadeiro desespero, com medo de colocar a sua vida e de seus familiares em risco. Buscamos o diálogo para solucionar essa questão, mas caso não se avance para uma solução negociada, a Feebbase deve orientar os sindicatos filiados a efetivar as medidas necessárias, inclusive judiciais, para proteger os trabalhadores”, finalizou o diretor da Feebbase.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar