Menu
-->

Sobrecarga nas agências digitais do Itaú

O Itaú continua desrespeitando e adoecendo os bancários. Sindicatos de todo o país vêm recebendo denúncias sobre o aumento excessivo de trabalho e da pressão por metas nas agências digitais do banco, tanto no segmento Personnalité, como no Uniclass.

Os funcionários reclamam também das mudanças efetuadas pelo Itaú, que criou um modelo de atendimento Smart em algumas agências do Personalité, fazendo com que o número dos clientes dobrasse em cada carteira dos gerentes. Algumas passaram de 700 a 800 clientes para 1.500.

Além do aumento de clientes, os gerentes ganharam também uma nova atribuição de “tutores” e alguns foram encarregados de se tornar backup de gerente geral, gerando acúmulo de funções.

Para complicar ainda mais a situação dos bancários, o Itaú modificou os cargos, acabando com os líberos, sendo que alguns mudaram a função e outros ainda estão aguardando uma realocação. O banco também está criando uma carteira Master no segmento Personnalité para migração dos antigos líberos, e quem não tiver uma boa performance será demitido.

Toda essa pressão tem gerado o adoecimento dos bancários, que trabalham com medo de não cumprir as metas e acabar perdendo o emprego. Essa postura do Itaú é absurda e não condiz com os altos lucros acumulados pela empresa nos últimos anos. Os funcionários estão cada vez mais sobrecarregados e adoecidos.

As entidades sindicais vão cobrar uma mudança na postura do Itaú e respeito aos direitos dos trabalhadores.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar