Menu
Redes sociais Feebbase

Bancos terão que detalhar custo do cheque especial

Os bancos terão que ser mais transparente com os clientes sobre os custos do uso do cheque especial. Uma determinação do banco Central estabelece que a partir de junho, o extrato do cliente que usa essa modalidade terá que conter informações como limite de crédito contratado, saldo devedor na data do fornecimento do extrato, valores usados diariamente, valor e a forma de apuração da eventual tarifa cobrada pela disponibilização do limite de crédito, taxa de juros efetiva ao mês e valor dos juros acumulado no período de apuração até a data do extrato, destacando eventuais cobranças da tarifa pela disponibilização do limite.

Com as informações, os clientes ficarão conhecendo em detalhes os juros cobrados nesta modalidade de crédito, que é uma das mais caras do pais.

Os bancos que cobrarem tarifa por oferecer o limite do cheque especial deverão fornecer as informações a partir de 1º de junho. As instituições que optaram por não cobrar a tarifa só deverão detalhar os dados a partir de 1º de novembro.

No fim do ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou os juros do cheque especial a 8% ao mês, equivalente a 151,8% ao ano. Em contrapartida, autorizou os bancos a cobrar tarifa de 0,25% sobre o limite do cheque especial que exceder R$ 500, tanto de quem usa como de quem não usa a linha de crédito.

A cobrança da tarifa entrou em vigor em 1º de janeiro para novos clientes. Para os antigos clientes, o desconto de 0,25% só passará a incidir a partir de 1º de junho, caso o banco opte pela cobrança.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar