Menu
Feebbase

Caixa pode abrir novo PDV neste ano

O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, disse ontem ao jornal Valor que a instituição estuda a abertura de um novo programa de demissão voluntária de seus funcionários, que pode ser iniciado ainda este ano. Segundo ele, ainda não estão definidos números e metas relacionados ao eventual programa, mas uma possibilidade é que ele seja construído para reduzir o quadro da empresa em cerca de 5 mil pessoas.

Em março, a Caixa concluiu um PDV que tinha a meta de alcançar 10 mil adesões, mas atingiu apenas 4.645 funcionários dos quase 30 mil elegíveis. O quadro de funcionários da Caixa estava ao redor de 95 mil e cerca de 30 mil tinham mais de 15 anos de casa, uma das condições para adesão ao plano anterior - que oferecia como incentivo dez salários pagos em parcela única, sem incidência de imposto de renda, recolhimento de encargos sociais e contribuição ao fundo de pensão, a Funcef.

A estratégia de demissão voluntária visa reduzir os custos do banco com pessoal, dando mais lucratividade e musculatura para a empresa em um ambiente de crise econômica como o atual. A Caixa tem uma série de passivos acumulados ao longo dos últimos anos os quais vem tentando reduzir, de modo a evitar ou pelo menos diminuir a necessidade de uma futura capitalização pelo governo federal, operação que teria custo fiscal e que o Tesouro Nacional não tem intenção de fazer.

Na edição anterior do programa, aberta em fevereiro e encerrada em abril, os principais critérios para adesão ao PDV eram ter ao menos 15 anos de empresa, aposentados pelo INSS ou com tempo completado, ou ainda com adicional de incorporação de função de confiança.

Os incentivos para adesão ao PDV anterior incluíram até dez salários extras (limitados a R$ 500 mil) e manutenção do plano de saúde por pelo menos um ano.

A Caixa não foi a única estatal a fazer programas para redução de seus quadros. Outras empresas, como Banco do Brasil e Correios, entre cerca de uma dezena de companhias, também tiveram iniciativas semelhantes, dentro de uma diretriz de se buscar maior rentabilidade nessas empresas. No total, desde o ano passado cerca de 50 mil empregados de empresas estatais foram desligados voluntariamente.


Valor Econômico

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar