Menu
15º Congresso da Feebbase

Guedes se diz frustrado por não privatizar e quer impulsionar agenda em 2021

Frustrado por não conseguir nenhuma privatização desde o início do governo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenta criar condições para emplacar a venda de estatais até o final do próximo ano.

Segundo o ministro, há acordos políticos na Câmara dos Deputados que impedem o avanço da agenda liberal. Não citou quais, mas segundo ele, a agenda de reformas irá ganhar tração em 2021. Guedes aponta as vendas de estatais como uma medida para conter a dívida pública.

Contudo, especialistas afirmam que as privatizações apontadas por Guedes para solucionar a dívida do país não resolvem a questão, já que a privatização não gera receita significativa na dinâmica da dívida. Privatização é algo que se faz uma vez e o déficit fiscal vem todo ano.

Além disso, nenhuma privatização não garante um serviço mais barato e de melhor qualidade, como exemplo a privatização das telecomunicações, na era FHC. Segundo indicadores internacionais, o país tem hoje um dos piores serviços de telecomunicação, campeão de reclamações, e um dos mais caros do mundo.

As estatais são ainda necessárias para prover serviços essenciais, como os relacionados à água e à energia, que não podem ser tratados a partir da lógica do lucro. Também servem para assegurar um nível de concorrência adequado em mercados concentrados, com impacto sobre a oferta e o preço de serviços

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar