Menu
Feliz ano novo

Justiça impõe nova derrota ao Santander

Condenado pela 1º Vara do Trabalho de Porto Velho por falta de responsabilidade com a saúde dos funcionários, o Santander recorreu da primeira decisão proferida em 20 de abril de 2018, na tentativa de anular a derrota. A 2º Turma do Tribunal Regional do Trabalho (TRT 14) julgou o pedido do banco e confirmou a sentença da que decidiu a favor de um trabalhador que é portador de doença ocupacional (gerada ou agravada por conta do esforço repetitivo nas atividades profissionais). A ação resultou em multa de R$ 35 mil para o Santander por danos morais ao empregado.

Mesmo sabendo da existência das lesões, o Santander não se preocupou em disponibilizar as condições ideias de trabalho, seja por adaptação do espaço físico ou direcionando o trabalhador para alguma atividade que não agravasse ainda mais as lesões. Tal postura cada vez mais comum reflete a grave falta de preocupação com a saúde dos funcionários no ambiente de trabalho.

No parecer, o relator do processo, desembargador Carlos Augusto Gomes Lobo cita as responsabilidades do empregador com a saúde do funcionário. “Tais evidências corroboram com a culpa do reclamado, ante a inobservância do dever geral de cautela do empregador, o que faz denotar que não havia empenho do empregador em evitar o surgimento de doenças decorrentes de esforço repetitivo.”

Por Rafael Santos

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar