Menu
50 anos da Federação

Liminar cancela edital que estrutura privatização da Eletrobras

Os movimentos em defesa da Eletrobras comemoraram uma decisão significativa na luta contra seu desmonte na última sexta-feira (6/7). O edital do BNDES que contrataria empresas para fazer a avaliação da estatal e sua posterior modelagem para entrega ao mercado foi suspenso pela Justiça.

O juiz federal Fernando Caldas Bivar Neto concedeu liminar sobre o tema atendendo ao pedido da presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), e de representantes do Sindicato dos Trabalhadores Urbanitários (STIU) e da Intersindical dos Eletricitários do Sul do Brasil.

“Estamos muito felizes com a decisão. A liminar se mostrou acertada uma vez que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social fez um movimento que desautorizou o Congresso Nacional quando iniciou um processo sobre um tema que ainda está em debate na Câmara”, comentou Luciana.

A deputada complementou que as declarações do presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, ao alegar que é ‘necessário ganhar tempo’ e iniciar o estudo baseado na ‘certeza de que o projeto será aprovado’, são um grande desrespeito ao trabalho dos parlamentares e aos debates que estão em andamento.

A licitação em questão foi anunciada através do Pregão Eletrônico AARH nº 19/2018 – BNDES, publicado no Diário Oficial da União nº 94, de 17 de maio de 2018. Ocorre que, como a Medida Provisória (MP) 814/18, que embasava a inclusão da Eletrobras no Plano Nacional de Desestatização, foi enterrada pelo Congresso, os termos da Lei nº 10.848/07, que veda a inclusão da estatal no programa, voltaram à vigência.

Em sua decisão, o juiz Fernando Caldas Bivar Neto entendeu que, dadas as circunstâncias, não é possível dar continuidade ao Pregão. “Não é difícil imaginar, por exemplo, diante de tema de tamanha controvérsia no Congresso Nacional, que a questão relativa à inclusão da estatal no Programa sequer seja aprovada pelo Legislativo, sendo certo, inclusive, que até o presente momento, não houve deliberação conclusiva das Comissões Especiais da Câmara”, deliberou.

O Projeto de Lei (PL) 9463/18, em tramitação no Parlamento, trata da autorização para o governo privatizar a Eletrobras. A proposta lesa-pátria ainda está em debate na comissão especial, da qual a deputada Luciana Santos é membro.

Para a parlamentar, a privatização representa mais um erro de Temer, que desconsidera a importância estratégica da empresa para o país. “A venda da Eletrobras, se aprovada, vai trazer profundas consequências a nação, desde as questões mais estratégicas como sua relevância para um projeto de desenvolvimento e para a soberania, até o inevitável encarecimento nas contas de energia, que vai penalizar ainda mais o povo brasileiro”, defendeu.

Fonte: PCdoB na Câmara

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar