Menu
15º Congresso da Feebbase

A desculpa é a reestruturação!

Com o argumento de redução de custos e despesas, o Bradesco brinca com a vida dos seus empregados e demite em plena pandemia.

O acordo feito com os sindicatos de todo o Brasil de não demitir durante a pandemia foi descumprido por todos os bancos privados. Em especial pelo Bradesco, que já desligou 1.500 bancários e prometeu fechar mais de 1.100 agências até o fim do ano.

Com o discurso de possível falência, já que o lucro trimestral teve uma queda de 34% em comparação ao mesmo período do ano passado, o banco se utiliza desses dados para efetivar todos os absurdos.

Em entrevista à grande imprensa, presidente do Bradesco, Octávio Lazari, afirmou que para o banco voltar a competir ano que vem será necessário " aparar o mato alto até o fim deste ano, para em 2021, começar a ganhar eficiências mais específicas de custos em cada área e setor..." Ops... MATO ALTO? pois é... bancário mudou de nome!

Resumindo, o que importa para o Bradesco é lucro! lucro! lucro!.

Só em Salvador, já foram desligados cerca de 90 funcionários e em Feira de Santana, mais 12. Em Camaçari não foi diferente. Já contabilizamos 3 funcionários desligados e o fechamento de uma agência (a 1477 Nova Camaçari), onde os mesmos foram incorporados nas outras duas unidades que restaram no município. Um absurdo com os funcionários e com a população.

Com o anúncio do banco sobre a reestruturação e desligamentos durante a pandemia, mantivemos contato com todas as áreas possíveis e falamos sobre a realidade da nossa cidade com relação ao fechamento de uma unidade e o quanto que esta ação geraria sobrecarga aos funcionários e prejudicaria o atendimento à população. Em resposta, o Bradesco informou que nada poderia fazer e que iria sim fechar a agência.

Nos meses de setembro e outubro, marcados por luta em todo país sobre essas atitudes das instituições financeiras, o Sindban realizou um grande protesto na agência Radial A do Bradesco, denunciando às medidas adotadas pelo banco e informando à população sobre o desserviço e falta de responsabilidade social da entidade. Munidos de cartazes, faixas e carros de som, os dirigentes conversaram com os bancários e clientes sobre a necessidade da manutenção de emprego na categoria, que foi essencial no momento da crise pandêmica.

Apesar da intransigência do Bradesco, seguiremos firmes na campanha nacional que pede o fim dos desligamentos. Vale ressaltar que o banco não passa por crise, muito pelo contrário, recebeu ajuda financeira do governo no início da pandemia. Com tanto lucro, não faz sentido algum demitir.

bianca lima sindiban dd755 Bianca Lima é diretora de Comunicação do Sindicato dos Bancários de Camaçari.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar