Menu
-->

Webinário debate sequelas da Covid-19 sobre a saúde dos trabalhadores

28.4.21 webnario sequelas da covid 71540

A Covid-19 já matou quase 400 mil brasileiros e deixou sequelas em outros milhares de pessoas que foram contaminadas pela doença. Foi para debater as sequelas da doença e as suas consequências na saúde do trabalhador, que a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) realizou um webinário na manhã desta quarta-feira (28/4). O evento marcou também o Dia internacional em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

A Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe foi representada no webinário pelo diretor de Saúde do Sindicato da Bahia, Célio Pereira, que foi um dos mediadores do debate com  Clarissa Lin Yasuda, médica e professora assistente de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM/UNICAMP), e Maria Maeno, médica e pesquisadora em Saúde do Trabalhador.

Clarissa Lin Yasuda apresentou os dados da pesquisa NeuroCovid, conduzida por ela, com pacientes que fazem múltiplas queixas, mesmo dois meses após a infecção. Já Maria Maeno falou sobre a postura dos bancos e seus serviços médicos na atenção aos bancários adoecidos; o medo de ser contaminado; reestruturações, demissões e a pressão por resultados; metas abusivas no contexto da pandemia e o home-office.

“É muito importante discutir a Covid-19 como acidente de trabalho, pois temos muitos colegas que estão contaminados, inclusive com muitos óbitos na categoria bancária. Infelizmente, já sabemos que o número de mortes de janeiro a março é maior que de todo o ano passado”, afirmou Célio Pereira.

A presidenta da Contraf e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira, ressaltou o trabalho que o movimento sindical tem feito para proteger os bancários contra o coronavírus. Desde o início da pandemia, já foram realizadas mais de 40 rodadas de negociação com os bancos.

“Conquistamos a criação de um protocolo de saúde e segurança, colocamos mais de metade da categoria em home office. Cobramos dos bancos também informações corretas, que são fundamentais em momentos de crise, para os bancários. E agora nos deparamos com outro problema, que são as sequelas pós-Covid-19. Queremos abrir a negociação sobre estas sequelas e vamos procurar banco a banco para saber que providencias eles estão tomando para esses trabalhadores, que tipo de acompanhamento e atendimento estão dando. Para isso, temos de entender bem deste tema, por isso a importância do webnário”, revelou Juvândia.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar