Menu
23ª Conferência Bahia e Sergipe
-->

Secretaria de Saúde de Feira dificulta a vacinação dos bancários

O Sindicato dos Bancários de Feira de Santana observa  com muita preocupação as últimas declarações do Secretário Municipal de Saúde, Marcelo Britto, acerca do (não) cumprimento do 28º Informe Técnico expedido pelo Ministério da Saúde, de maneira que vimos a público jogar luz sobre a referida norma.

O Governo Federal decidiu pela inclusão da categoria Bancária na etapa prioritária de vacinação contra covid-19 na última quarta-feira, dia 14 de julho de 2021, levando em consideração o elevado índice de contaminação da categoria, o caráter de vulnerabilidade de exposição ao vírus e o aumento do número de óbitos entre os trabalhadores das agências em 176%, segundo dados do CAGED, comparado ao primeiro trimestre do ano passado.

A orientação emanada da Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 e ratificada pelo Comitê Intergestor Bipartite é que os municípios devem disponibilizar 20% do total de doses recebidas aos Bancários e Trabalhadores dos Correios.

É imperioso destacar que o supracitado Informe Técnico é claro, objetivo e direto em sua redação, não abrindo margem a quaisquer dúvidas e elucubrações. É impossível extrair da leitura do dispositivo, por exemplo, que a vacinação se dará com imunizantes específicos, nem tampouco o dispositivo subcategoriza bancários e trabalhadores dos Correios, como sugere o Secretário de Saúde.

Feira de Santana recebeu um novo lote contendo 12.730 doses da AstraZeneca, na última sexta-feira (16/07), destinadas a vacinação da população.

No dia 19 de julho, segunda-feira, o Secretário em entrevista aos meios de comunicação da cidade, lamentou a baixa procura pela vacinação contra covid-19, deixando claro que a destinação de 20% do total destes imunizantes, que deveriam ter sido destinados a vacinação dos novos grupos prioritários conforme a Nota Técnica do Ministério da Saúde, não causaria impacto ao Plano Municipal.

Os bancários e bancárias são um dos poucos trabalhadores que integram o rol dos serviços essenciais que haviam sido negligenciados pelo Governo Federal quando da elaboração do Plano Nacional de Operacionalização, já deveriam estar vacinados dada a hiperexposição de suas atividades. O próprio Secretário Municipal de Saúde alegou em reunião com a diretoria deste sindicato que, quando a categoria fosse incluída no PNO, o Município iniciaria a vacinação imediatamente. No entanto, decide lançar a saúde e vida dos Bancários à própria sorte. Portanto, havendo um eventual óbito na categoria, o Prefeito de Feira de Santana e seu Secretário de Saúde assumem para si a responsabilidade pelo ocorrido.

Diante do exposto, o Sindicato dos Bancários de Feira de Santana vêm externar sua indignação com o descaso que o Poder Público Municipal tem tratado esses trabalhadores e trabalhadoras que serviram a sociedade feirense. O mínimo que ele poderia fazer é ter sensibilidade e zelo por seus cidadãos.

Sindicato dos Bancários de Feira de Santana, na luta pela imunização da categoria!

Fonte: Sindicato dos Bancários de Feira de Santana.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar